Você quer mais vendas na internet?
Veja o que podemos fazer por você.

Nós ajudamos Lojistas como você a superar a crise financeira, quer fazer parte desta história?
Não quero Vender na Internet, Obrigado!

Impactos de SEO de plataforma E-commerce ou Migração de Paginas e-Commerce

Um dos principais empreendimentos é o ramo de vendas na internet. O e-commerce também conhecido no Brasil por: Loja Virtual é uma das principais formas de se iniciar um negócio literalmente da noite para o dia.

Saiba quais os principais Impactos de SEO de plataforma E-commerce ou Migração de Paginas e-Commerce.

Vivemos em uma momento crescente no mercado digital, mas agora, não somente Agências e Profissionais estão no ramo, mas também o “Micro Empresario Digital”, que compõe grande porção no mercado.

A crescente ocorre no mercado devido a forte crise financeira que vivenciamos nos últimos anos. É de fácil percepção a quantidade de pessoas que perderam seus empregos e agora estão investindo no mercado digital que também por sua vez decidiu sair de seu emprego de salario fixo e empreender em um negócio próprio.

Um dos principais empreendimentos é o ramo de vendas na internet. O e-commerce também conhecido no Brasil por: Loja Virtual é uma das principais formas de se iniciar um negócio literalmente da noite para o dia.

Uma breve definição do que afinal de contas é e-commerce.

O que é e-commerce

E-Commerce ou comércio eletrônico se trata de vender através da internet, em conceito são transações financeiras por meio de dispositivos e plataformas eletrônicas. Geralmente são vendidos produtos e/ou serviços que estamos acostumados a ver por ai, como em um shopping. Ele abrange diferente tipos de negócios desde sites destinados a consumidores a sites de leilões passando por comércio de bens e serviços entre organizações.

O E-Commerce surgiu em 1970 com a EDI e EFT fazendo transferência de valores entre pessoas e empresa, porém foi com a internet que ganhou força e ficou disponível para todas as pessoas. Esse mercado impulsionou por volta de 1994, quando um americano, Jeff Bezos  começou com um minimo investimento na garagem de casa uma loja virtual de livros. Essa empresa criada sem intuito, se tornou a grande Amazon de hoje em dia.

O E-Commerce tem como um dos maiores benefícios a possibilidade de atender tantos enormes mercados como nichos específicos. Inclusive, existem clientes fiéis as compras na Internet.

Frequência de compras na Internet.

Existem diferentes tipos de negócio que podem ser chamados de E-Commerce.

Tipos de E-Commerce:

  • B2B (Business to Business): Consiste na relação de negócios entre empresas, como venda por atacado. Geralmente é feito entre fabricantes e lojas, não tem uma interação com o cliente por pessoa fisica.
  • B2C (Business to Consumer): É a relação estabelecida entre a empresa/organização e o cliente, ou seja, são empresas online vendendo serviços e produtos para o cliente final. Por exemplo, trocas comerciais que ocorrem no Mercado Livre, onde pessoas físicas anunciam, vendem e compram produtos.
  • C2C (Consumer to Consumer): Consiste na negociação entre duas pessoas físicas, geralmente estabelecida através de um intermediador, como sites de leilão de produtos e afins, entre eles Elo7 e eBay.
  • P2P (Peer to Peer): Consiste em pessoas compartilhado arquivos digitais sem a necessidade de um intermediador. Porém para isso é preciso que ambas as partes tenham instalado um software que permita busca e a transferência posterior de arquivos, como por exemplo o site 4shared.

Quando um lojista decide qual plataforma deve trabalhar, ele deve focar no que realmente é importante e não apenas para o layout.

Diversos fatores são importantes nesta lista, mas aqui vamos falar apenas o que você deve se preocupar na migração de seu e-commerce. Isso serve para você que já tem experiencia e também caso você esteja criando sua primeira loja virtual.

Mas, o que é SEO!?

SEO ou Search Engine Optimization, que no bom português significa ‘Otimização para os motores de busca', é um conjunto de práticas e técnicas que visam aumentar a quantidade e qualidade do tráfego que você obtém através dos resultados orgânicos em ferramentas de busca, como o Google, por exemplo.

Nos resultados de busca, o Google exibe links para páginas consideradas mais relevantes e com maior autoridade. Essa jurisdição é medida principalmente pela análise da quantidade e qualidade dos links de outras páginas da web.

Em termos simples, as suas páginas na web têm potencial para se classificarem no Google, ao mesmo tempo em que outras páginas da web podem se vincular a elas.

  • Por que o SEO é importante?

A maioria do tráfego da web é conduzida pelos motores de busca comerciais, como Google, Bing e Yahoo. Embora as mídias sociais possam gerar visitas ao seu site, os motores de busca são o principal método de navegação para os usuários, pois são os únicos capazes de fornecer o tráfego-alvo ao site de sua empresa. Se eles não puderem encontrar o seu site ou adicionar o seu conteúdo no banco de dados, você perderá ótimas oportunidades.

Um aspecto importante do SEO é fazer o seu site ficar compreensível para os usuários e mecanismos de busca. Ainda que os motores de busca estejam cada vez mais sofisticados, eles ainda não podem ver e entender uma página da web da mesma maneira que um ser humano pode. O SEO ajuda os buscadores a descobrir o que cada página é sobre e como ele pode ser útil para os usuários.

Existe um fator chamado SEO Score, é ele quem classifica o rankeamento das páginas a serem apresentadas nos resultados, sempre visando entregar resultados exclusivos, relvantes e completos.

Como o SEO funciona?

Independente de qual motor de busca você use, eles têm duas funções principais: o rastreamento e a construção. Assim que você pesquisa algo, um rastreador reúne todas as informações e conteúdo sobre esse assunto, criando um índice com os sites considerados mais relevantes. Esse índice é alimentado através de um algoritmo, que tenta combinar todos os dados com a sua pesquisa. Já a construção cuida de como esses resultados serão apresentados para os usuários, relacionando com outros dados que também deverão ser apresentados como anúncios, imagens, notícias e entre outros.

Marketplace: O que é?

Já imaginou se o seu produto fosse divulgado nos sites com maior acesso do país e do mundo e, você pudesse realizar uma venda sem se preocupar com a logística, atendimento e receber apenas lucro? Isso é possível através do Marketplace.

Talvez você já tenha escutado ou lido sobre este termo em algum lugar e, inclusive já tenha comprado um produto ou até mesmo tenha visitado um marketplace na internet recentemente.

Untitled design (1).jpg

Este termo não é novo, mas tem ganhado bastante destaque no cenário nacional e internacional nos últimos anos. Ele vem do inglês market, que significa "mercado" e place, que significa "lugar".

O Marketplace pode ser realizado em um espaço físico ou em um espaço virtual. É um tipo de comércio online no qual dentro de um único site, diversas empresas podem vender seus produtos sem arcar com custos de um e-commerce, conhecido como shopping online ou e-shopping. Com a evolução da internet, cada vez mais pessoas e negócios, começaram a se conectar e usar este canal para aumentar a visualização e distribuir seus produtos.

Marketplace e E-commerce são coisas diferentes!

O grande diferencial do Marketplace e E-commerce é a descentralização dos estoques e, a maior probabilidade de produtos variáveis, que no caso do marketplace é praticamente infinita.

Dentre os principais fatores que diferenciam o Marketplace do E-commerce, estão o formato de receita, formato jurídico, gerenciamento de estoque, grau de abertura de novas lojas e produtos, entre outros aspectos.

Na tabela abaixo, procuramos deixar evidente quais as grandes diferenças, que afetam diretamente na operação de um E-commerce ou Marketplace e seu faturamento.

E-commerce é definido como comércio virtual, ou seja, está envolvido em um processo de plataforma, administração de vendas, atendimento, comércio de produtos ou serviços, pagamentos, publicidade e estratégia de negócios.

E quando falamos apenas na gestão de vendas onde não há controle de logística, estamos de um marketplace. Ou seja, é um site utilizado apenas como um grande mercado (lugar mercadológico).

Planejador de Palavras chave

Conheça as Ferramentas de palavras chave, boas para seu negócio.

Uma duvida comum, mas como descobrir se aquela palavra que escolhi vale a pena?

Deve-se levar em consideração o produto e a marca dele, assim como o posicionamento que você deseja ter no mercado. Vende marcas já consolidadas? Seu produto é uma inovação?

Tais pontos interferem grandemente na hora de se rankear na internet. Seu conteúdo precisa ter qualidade e relevância, por isso a escolha das palavras-chave é tão importante.

Fizemos essa postagem para mostrar para você técnicas importantes na escolha de suas palavras-chave.

IMPORTANTE: termos no plural apresentam resultados diferentes de termos no singular, vice-versa. Assim como termos de, da, para, do, também apresentam diferença nos resultados.

Uma ferramenta bacana de ser usada e sem custo é o Google Trends.

Com ele é possível verificar o fluxo de pesquisas dentro do buscador mais famoso, o Google.

Google Trends

É possível também, filtrar por país, visualizar pesquisas relacionadas, comparar termos  e determinar um período para essa verificação. Mostra quais regiões tem mais buscas (o que ajuda na hora de segmentar uma campanha Adwords, por exemplo).

> Basta acessar https://google.com/trends/ e realizar uma busca rápida, filtrando para o país que deseja, no caso Brasil e selecionar um período (indicamos últimos 12 meses).

Ao inserir um termo, vai ser exibido um gráfico linear com as tendências de pesquisa ao longo dos últimos 12 meses.

A ferramenta também apresenta informações adicionais, como termos de pesquisa correlacionados e interesse regional.

Veja os exemplos abaixo:

Um gráfico com as regiões que mais são pesquisados este termo e ao lado a quantidade de buscas por estado.

Alguns termos de pesquisa correlacionados.

O que é robots.txt

Como o próprio nome já diz, robots.txt é um arquivo no formato .txt (bloco de notas). Funciona como um filtro para os robôs dos sites de busca e faz com que os webmasters controlem permissões de acesso a determinadas páginas ou pastas dos sites. O robots.txt controla qual informação de um site deve ou não deve ser indexada pelos sites de busca.

A sintaxe do arquivo é bem simples, e deve ser colocada pelo webmaster responsável pelo site na raiz da hospedagem. O próprio Google usa um arquivo em http://www.google.com/robots.txt, e navegar por ele é no mínimo curioso.

Sintaxe do Robots.txt

O arquivo robots.txt tem o papel de criar uma política de acesso aos Robots. Para a execução dessas tarefas, há palavras reservadas, ou seja, palavras com a função de comandos que permitirão ou não o acesso a determinados diretórios ou páginas de um site. Vejamos os principais comandos do arquivo robots.txt:

User-agent

A função do comando user-agent é listar quais robôs devem seguir as regras indicadas no arquivo robots.txt. Supondo que você deseje somente que o mecanismo de busca do Google siga as definições definidas no arquivo robots.txt,basta indicar o User-agent como Googlebot. Eis as principais opções:

  • Google: User-agent: Googlebot
  • Google Imagens: User-agent: Googlebot-images
  • Google Adwords: User-agent: Adsbot-Google
  • Google Adsense: User-agent: Mediapartners-Google
  • Yahoo: User-agent: Slurp
  • Bing: User-agent: Bingbot
  • Todos os mecanismos: User-agent: * (ou simplesmente não incluir o comando user-agent)

Disallow

O comando instrui os sites de busca sobre quais diretórios ou páginas não devem ser incluídas no índice. Exemplos:

  • Disallow: /prod - orienta aos robots a não indexarem pastas ou arquivos que comecem com "prod";
  • Disallow: /prod/ - orienta aos robots a não indexarem conteúdo dentro da pasta "prod"
  • Disallow: print1.html - orienta aos robots a não indexarem conteúdo da página print1.html.

Allow

O comando Allow orienta aos robots qual diretório ou página deve ter o conteúdo indexado. Diretórios e páginas são por definição sempre permitidos. Assim, este comando deve ser utilizado apenas em situações em que o webmaster bloqueou o acesso a um diretório por meio do comando Disallow, mas gostaria de ter indexado um arquivo ou sub-diretório dentro do diretório bloqueado.

Note por exemplo no robots.txt do Google, logo no início, as duas linhas abaixo. O Allow permite que seja indexado o diretório /about abaixo do diretório /catalogs.

Disallow: /catalogs  Allow: /catalogs/about

O Google desenvolveu a Webmaster Tools - ou Search Console, ferramenta para verificar e apontar soluções para que o seu site alcance melhores resultados nas buscas. A estratégia adapta a sua plataforma aos interesses do Google, otimizando-a de acordo com as métricas utilizadas pela líder nos sites de busca da Internet. Isso significa que o Google vai fazer o seu website ser encontrado com maior facilidade em resultados de pesquisa, podendo chegar ao topo da página em pouco tempo!

O Webmaster Tools funciona através de relatórios que analisam e exibem erros que o Google encontra em seu site ou em seu aplicativo. A ferramenta pode usar estes dados gerados, para ver qual o produto mais popular oferecido no seu site e concentrar-se nele para aumentar o tráfego. Ela também pode verificar os erros no site e enviar alertas por e-mail, bem como analisar o site e propor melhorias para que seja mais visualizado e encontrado nas buscas.

Para utilizar o Webmaster Tools basta possuir uma conta no Google. O serviço é gratuito e após o login, você cadastra seu site ou aplicativo a ser otimizado. A partir daí, serão gerados relatórios com a visão do Google sobre suas páginas ou produtos.

Webmaster Tools | Tudo Sobre Relatório de Search Analytics

Um dos relatórios gerados pelo Webmaster Tools é o de Search Analytics, nele são apresentadas o número de vezes seu website aparece nos resultados da pesquisa do Google. Com isso, é possível ter uma ideia do quanto é preciso avançar, usando o resultado para melhorar o desempenho da pesquisa do seu website.

O relatório dá a possibilidade de ver e entender como seu tráfego de pesquisa muda ao longo do tempo, de onde ele vem e quais consultas de pesquisa estão mais propensas a exibir seu produto. Também é possível ver em quais dispositivos as consultas são feitas (smartphones, notebooks, etc), informação para melhorar sua segmentação de dispositivos móveis, quais páginas têm as taxas de clique mais altas e as mais baixas, a partir dos resultados da pesquisa do Google.

A exibição padrão do relatório mostra a contagem de cliques no site realizadas a partir de pesquisas do Google das últimas quatro semanas. As métricas podem ser visualizadas por: cliques de uma página, impressões ou o número de links que o usuário visualizou para o seu site, CTR (taxa de cliques que representa a contagem de cliques dividida pela contagem de impressões) e a posição média do resultado.

A interface do Webmaster Tools é bem acessível. Nesta etapa, é possível agrupar dados por características, filtrar dados, adicionar e excluir  filtros, entre outros.

Continue nos acompanhando e se mantenha sempre atualizado!

Até a próxima ;)

A 33AMD criou uma metodologia incrível de SEO para PME

Quer mais informações para alavancar seu negócio?

Entre em contato e solicite mais informações

Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form
Apaixonado pela inovação